#brainblog

           Cultura Ágil: o que é e como implementar em uma organização?

Data: 12 maio 2022 | Categoria: Metodologias
Foto de pessoas trabalhando, uma delas é uma mulher negra que escreve em uma parede de vidro com papéis colados, representando a cultura ágil.
           

A cultura ágil é um importante recurso para organizações que desejam lidar com desafios de mercado de uma maneira prática e eficiente, com a agilidade necessária para fazer mudanças em um mundo que exige adaptações rapidamente.

Afinal, antigos métodos e visões de futuro podem não fazer mais sentido atualmente, ainda mais ao considerarmos mudanças profundas impostas pela pandemia nos últimos anos, que fizeram o processo de transformação digital acelerar.

Não faltam vantagens para empresas que adotam a cultura ágil, por isso vamos explicar o conceito por trás dessa ideia e, também, como você pode implementá-la na organização para aproveitar seus benefícios e, principalmente, preparar a empresa para lidar com os desafios e transformações do mercado atual.

Conceito e benefícios da Cultura Ágil

A cultura ágil é uma forma de pensar e tem relação com a cultura organizacional de um negócio. Dessa forma, trata-se de uma maneira de enxergar processos, relacionamentos com stakeholders e a interação entre colaboradores à luz da metodologia ágil e conceitos do Manifesto Ágil, que desenvolveu fundamentos-chave como:

  • Indivíduos e interações acima de processos e ferramentas;
  • Software em funcionamento acima de documentação abrangente;
  • Colaboração com o consumidor/cliente acima de negociação de contratos;
  • Resposta às transformações/mudanças mais do que seguir um plano.

Esses fundamentos e princípios do Manifesto Ágil visam priorizar a satisfação de clientes, manter a colaboração e a comunicação entre todos, estimular a simplicidade, o autogerenciamento e a fluidez de processos.

Na Cultura Ágil, esses conceitos são transferidos para a cultura organizacional, que permite um modelo de gestão baseado nas interações, colaboração, agilidade e redução de burocracia. Entre os benefícios, estão:

  • Mudança de direção com maior rapidez;
  • Mais visibilidade e transparência na gestão de projetos;
  • Identificação de desafios com antecedência;
  • Mais qualidade nas entregas;
  • Maior satisfação de equipes, sem hierarquias excessivas ou micro gerenciamentos;
  • Maior autonomia nas atividades e tomada de decisão;
  • Adaptação mais rápida a eventuais mudanças no mercado.

Como implementar a Cultura Ágil?

1. Tenha equipes menores

Ter equipes mais enxutas, com os profissionais necessários para o desempenho das atividades, facilita o gerenciamento de tarefas, já que é possível para as lideranças acompanharem o que cada pessoa está fazendo de forma próxima.

Equipes grandes demais podem se dispersar durante as tarefas. Ao mesmo tempo, ruídos de comunicação tendem a ser maiores, além da dificuldade em conciliar agendas para reuniões, por exemplo, principalmente durante o home office.

Dessa maneira, equipes menores significam comunicação e colaboração constantes e redução de riscos relacionados à dispersão, ruídos, sobreposição de atividades ou excesso de etapas nos processos.

2. Atribua responsabilidades para todos

Todos os colaboradores da empresa devem ter responsabilidades para manterem-se engajados nas tarefas e possam entregar aquilo que lhes é atribuído. Sem isso, a desmotivação, frustração e procrastinação podem aparecer, prejudicando as entregas em médio e longo prazo.

Ao mesmo tempo, com cada um responsável por suas próprias entregas, é possível diluir o esforço coletivo entre todos os integrantes do time. Isso contribui para reduzir a sobrecarga na equipe, já que não terá ninguém com responsabilidades demais em relação a outra pessoa do time.

3. Adote uma postura de menos comando

Com a responsabilização de todos da equipe, torna-se necessário uma postura de menos comando ou micro gerenciamento. Isso porque cada um sabe o que deve ser feito e prazos de entrega, eliminando a necessidade de muitas ordens diretas ou fiscalização do trabalho.

Assim, as lideranças desenvolvem um papel diferente da figura de chefia tradicional. Por isso, em vez de ditar ordens, regras e exigir entregas, a postura deve ser de mais organização, colaboração, direcionamento e apoio ao time.

4. Exerça a liderança de apoio

A liderança de apoio consiste em líderes que desempenham um papel de suporte ao time para eliminar inseguranças e, principalmente, destravar processos e facilitar entregas que a equipe precisa fazer.

Logo, na cultura ágil os líderes devem ser facilitadores e apoiadores de seus times, fornecendo a orientação e suporte necessários para que todos possam cumprir com suas responsabilidades.

5. Construa pontes de informação

As pontes de informação facilitam a troca de dados entre todos de uma equipe ou empresa e favorecem o acompanhamento de projetos e transparência nas tarefas.

Por isso, procure sempre compartilhar status de entregas e materiais que façam com que todos na empresa estejam cientes do que acontece. Vale lembrar que isso não significa elaborar documentações extensas, mas sim manter a comunicação e transparência constantemente por meio de rituais ou gerenciamento de projetos, por exemplo.

A Cultura Ágil pode ser desafiadora para organizações de visão mais tradicional, mas é possível implementar essa mudança de pensamento nesse tipo de empresa. Entenda como usar a agilidade em empresas tradicionais.

Compartilhe
   
REDAÇÃO BRAIN

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x