#brainblog

Inovação aberta: Como sua empresa está ultrapassando fronteiras?

Data: 19 junho 2024 | Categoria: Estratégia
imagem com o Brainer Victor Eduardo que representa uma solução de inovação aberta

A inovação aberta tem se tornado cada vez mais importante para as empresas que desejam se manter competitivas no mercado.  

Por meio da colaboração com parceiros externos, como startups, universidades e outras empresas, as organizações podem acessar novas ideias, tecnologias e talentos que as ajudam a ultrapassar fronteiras e impulsionar a inovação. 

O que é Inovação Aberta? 

A inovação aberta, conceito popularizado por Henry Chesbrough, em 2003 que revolucionou a forma como empresas desenvolvem novas tecnologias e soluções. 

Leia também: Artigos que apresentam a definição de o que é inovação aberta e qual a diferença entre inovação aberta e interna. 

Acima de tudo, tão importante quanto entender este conceito, é estar ciente das novas perspectivas e desafios que esta ferramenta pode trazer para sua empresa e qual o impacto ela tem no(s) Ecossistema(s) que ela está inserida. 

Inovação Aberta como agente transformador 

A inovação aberta é uma forma diferente de as empresas desenvolverem produtos e soluções tecnológicas, em comparação com o modelo tradicional.  

Em vez de realizar pesquisa e desenvolvimento internamente, a inovação aberta envolve colaboração com fontes externas, como startups, universidades e consumidores.  

Essas parcerias e o uso de conhecimento externo são cada vez mais importantes para impulsionar a inovação, à medida que o mercado muda constantemente. 

E não só as grandes empresas começaram a utilizar dos benefícios associados a adoção deste modelo, mas a aplicabilidade se mostra eficiente em diferentes contextos. 

Assim como em pequenas e médias empresas, temos cada vez mais agentes do setor público trabalhando com startups e outros players de inovação aberta e nas mais diferentes regiões geográficas, evidenciando que a inovação por si só é altamente adaptativa a diferentes culturas organizacionais e ambientes econômicos. 

Quais os principais benefícios da Inovação Aberta? 

  • Redução de Custos: Compartilhar o risco e os custos de desenvolvimento com parceiros externos pode ser mais eficiente financeiramente do que desenvolver tudo internamente.  
  • Aceleração do Tempo de Mercado: Colaborar com parceiros externos pode acelerar o processo de desenvolvimento e lançamento de novos produtos.  
  • Diversidade de Ideias: A inovação aberta permite acesso a uma gama mais ampla de ideias e perspectivas, aumentando a probabilidade de soluções inovadoras e criativas.  
  • Flexibilidade e Adaptabilidade: Ao integrar recursos externos, as empresas podem se adaptar mais rapidamente às mudanças de mercado e tecnológicas. 
  • Colaboração e Parcerias: Importância de construir redes de colaboração para inovação. 

Analogamente, como diria o Tio Ben, com grandes poderes vem grandes reponsabilidades e quando se tem benefícios, temos também desafios a serem enfrentados / vencidos: 

  • Gestão de Propriedade Intelectual: Proteger a propriedade intelectual enquanto colabora com parceiros externos pode ser complexo e requer acordos claros.  
  • Cultura Organizacional: Implementar a inovação aberta exige uma mudança cultural dentro da empresa, promovendo uma mentalidade colaborativa e aberta.   
  • Integração de Ideias Externas: Incorporar efetivamente ideias externas nos processos e produtos internos pode ser desafiador e requer uma gestão cuidadosa.   
  • Confiança e Relacionamentos: Construir e manter a confiança entre parceiros externos é crucial para o sucesso da inovação aberta.  
  • Fluxos de Conhecimento: Como gerenciar e facilitar o fluxo de conhecimento dentro e fora da organização. 

Tá mais aí você me pergunta, como eu participo e tenho contato com Inovação Aberta?  

São diversas as fronteiras possíveis e aqui deixei algumas que podem te ajudar a traçar novas estratégias para o seu negócio:

Colaboração com Startups e Universidades

Empresas estabelecem parcerias com startups e instituições acadêmicas para aproveitar o conhecimento e a criatividade externa. Isso pode incluir programas de aceleração, hackathons, ou projetos de pesquisa conjunta.

Exemplo: A Procter & Gamble (P&G) adota a estratégia de “Connect + Develop”, colaborando com parceiros externos para inovar em áreas como produtos de consumo e embalagens. Essa abordagem permitiu à P&G acessar tecnologias emergentes sem incorrer em custos elevados de P&D interno.

Plataformas de Inovação

Utilização de plataformas online que conectam empresas a inventores, pesquisadores e consumidores. Essas plataformas facilitam a troca de ideias, o desenvolvimento de soluções e a co-criação de produtos.

Exemplo:  Plataformas como InnoCentive e NineSigma permitem que empresas lancem desafios para a comunidade global de inovadores.

Por exemplo, a NASA utiliza InnoCentive para resolver problemas complexos de engenharia, recebendo soluções de cientistas e engenheiros de todo o mundo.

Isso não apenas amplia o alcance das ideias disponíveis, mas também acelera o processo de resolução de problemas, no Brasil temos muitas plataformas como essas, Distrito, SlingHub, Innovation Latam, entre outras.

Competição e Prêmios

Organização de concursos e desafios de inovação onde indivíduos ou equipes competem para resolver problemas específicos da empresa. Os vencedores podem receber prêmios em dinheiro, contratos de desenvolvimento ou outras recompensas.

Exemplo: O Google Lunar XPRIZE, por exemplo, ofereceu um prêmio de US$ 30 milhões para equipes que conseguissem pousar um robô na Lua, estimulando avanços significativos na exploração espacial. 

Feedback do Consumidor

Envolvimento dos consumidores no processo de desenvolvimento através de feedback contínuo, testes de produtos e sugestões. Isso ajuda a ajustar produtos e serviços às necessidades reais do mercado.

Exemplo: A plataforma Lego Ideas permite que fãs enviem designs de novos sets de Lego, que, se aprovados e comercializados, geram royalties para os criadores.

Dessa forma, isso não só engaja a comunidade de fãs, mas também garante que os produtos atendam aos desejos dos consumidores. 

Tese de Inovação aberta 

Para que esses 4 pontos sejam mais bem aproveitados a empresa precisa ter muito bem definido o que chamamos de tese de inovação aberta, que vai seguir como um mapa de parcerias estratégicas que se espera ser concretizado com a inovação aberta, mas se você me perguntar, como se cria uma boa tese aí é assunto para outro artigo. 

Por isso, na medida que a tecnologia avança e as redes de colaboração se expandem globalmente mais a inovação aberta se mostra uma estratégia poderosa para empresas que buscam manter a competitividade e a relevância em um mercado em constante mudança.

Ao abrir suas fronteiras para ideias e recursos externos, as empresas podem acelerar o desenvolvimento, reduzir custos e aumentar a inovação que sem a inovação aberta seriam inacessíveis.

No entanto, é essencial gerenciar cuidadosamente os desafios associados para garantir que a inovação aberta atinja seu potencial máximo de ter novos parceiro para antecipar tendencias para resolver problemas e gerar dinheiro novo! 

Por Victor Eduardo, Analista de Inovação Aberta no Brain

Compartilhe
Adryelle

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x