#brainblog

           Como a Inovação e a metodologia ágil podem ir além do desenvolvimento de produtos?

Data: 26 agosto 2021 | Categoria: Metodologias
imagem com o brainer Marco Fabri que representa uma solução de inovação e metodologias ágeis
           

Realizar planejamentos a médio e longo prazo, tanto na vida pessoal como profissional, sempre fez parte da nossa rotina, e fomos ensinados a agir dessa forma, mas com a pandemia fomos forçados a nos reinventar e provocados a mudanças rápidas e eficientes, por isso, podemos trazer o questionamento e pensar como a inovação e a metodologia ágil podem ir além do desenvolvimento de produtos? Agora, a capacidade de adaptação foi posta em prova para garantirmos nossa segurança e fatores socioeconômicos dos locais no qual trabalhamos. 

Diante das mudanças e incertezas que estamos vivenciando, o que podemos fazer para manter nossa saúde física e mental em bom estado? E ainda garantir o resultado que as empresas esperam? Como Scrum Master, gostaria de discutir como a inovação e a metodologia de desenvolvimento de produtos podem contribuir neste contexto. 

Começo essa reflexão com uma frase interessante que escutei outro dia sobre o modelo de trabalho home office ou presencial, tão discutido atualmente, “estamos trabalhando em casa ou estamos morando no trabalho?” 

A Organização Mundial de Saúde define saúde mental como o estado de bem-estar em que o indivíduo realiza todo o seu potencial, é capaz de lidar com as próprias tensões da vida e de trabalhar de forma produtiva , conseguindo contribuir com a sua comunidade. 

Desta forma,  um assunto que ganhou destaque ultimamente e está sendo discutido nas empresas é a síndrome de burnout, que retrata um distúrbio psíquico causado pela exaustão extrema, sempre relacionada ao trabalho de um indivíduo. Essa condição também é chamada de “síndrome do esgotamento profissional” e afeta quase todas as facetas da vida das pessoas..

A adoção do modelo trabalho no formato home office trouxe grandes benefícios que facilmente podemos citar, como: proximidade da família, redução do stress no trânsito, autogerenciamento, redução de custos e encargos para as empresas, opção de contratação de profissionais de diferentes lugares. Por outro lado, temos pessoas que preferem o modelo presencial e apontam algumas desvantagens no home office, sendo elas: falta de foco, excesso de agendas que comprometem a execução das atividades, falta de uma rotina de lazer. Situações as quais afetam de forma negativa nossa saúde mental. E até que ponto estamos preparados para ambos? Existe um modelo adequado que agrade todos funcionários? Estamos utilizando com qualidade nosso tempo ? 

Tendências para o pós pandemia

Com o avanço das vacinas, pesquisas apontam que o desejo das companhias em retomar as atividades presenciais, mesmo que de maneira híbrida, é claro. Segundo estudo realizado pela consultoria KPMG no primeiro semestre, 66% das empresas estavam interessadas em voltar ao trabalho presencial ainda em 2021, e os 34% restantes em 2022.

A situação, porém, já mudou desde o levantamento. “Agora estamos vendo que está em um patamar de 50% para voltar neste ano e 50% no ano que vem”. Não por acaso, 74% das empresas ouvidas pela consultoria afirmam que os planos da volta ao trabalho presencial mudaram em algum momento por causa do surgimento de novas cepas. Além disso, a vacinação completa ainda está na casa dos 20%, o que também atrapalha a retomada.

O modelo híbrido vem sendo discutido não apenas para modelo de trabalho, mas também para a retomada de eventos, aulas, e é visto tanto por empresas quanto por especialistas como um caminho sem volta. Uma pesquisa realizada pela companhia de coworking WeWork com a consultoria Workplace Intelligence aponta que 53% dos funcionários desejam trabalhar três ou mais dias em casa por semana. “Revista Exame – artigo publicado em 15/08/2021”.

Aqui no Brain, adotamos o modo de trabalho “anywhere office”, onde os brainers podem trabalhar de qualquer lugar, de forma híbrida, seja nos escritórios localizados em Uberlândia, Recife e São Paulo, ou em suas casas. Respeitamos a segurança e as necessidades dos nossos colaboradores, dessa forma estamos abertos  ao formato que garanta sua produtividade e atenda sua realidade. Além disso, promovemos discussões constantes sobre o tema, proporcionando um debate real e colaborativo, garantindo ações que contribuam para o bem estar dos associados.

Na Tribo SAMPA não é diferente, buscamos motivar nossa equipe a ter seus momentos de lazer, atividade física e compartilhamos nossos momentos como reforçador da importância do tema.

Como podemos aplicar os métodos ágeis na vida pessoal? 

Você já deve ter visto ou escutado os termos MVP (Minimum Viable Product/Produto Mínimo Viável), pivotar, soft skills, entre outros, e porque não usarmos esses termos praticados nos projetos e organizações para nossa vida pessoal ?

O conceito de MVP define uma forma simples e enxuta de uma solução/produto a ser lançado para o mercado, com funcionalidades básicas e recursos mínimos, a fim de validar a proposta de valor da ideia antes do seu lançamento definitivo. Com isso, o MVP é testado e, se necessário, realiza-se adaptações de acordo com o retorno de uso do público alvo, e caso não tenha aderência, pivota-se (muda-se) o projeto e o rumo do negócio.

Neste contexto, as soft skills, também conhecidas como habilidades comportamentais das pessoas, são essenciais para o desenvolvimento dos projetos, pois podem influenciar positivamente ou negativamente o ambiente de trabalho. Podemos citar inúmeras soft skills importantes como: criatividade, comunicação, empatia, ética, colaboração, relacionamento interpessoal, flexibilidade, resiliência, organização, negociação, etc, presentes em nosso dia a dia profissional.

E já que usamos tudo isso em nossa vida profissional, porque não usarmos também para a vida pessoal e assim atingir a tão desejada saúde mental que queremos ? Já experimentou criar os próprios OKRs (Objectives and Key Results/Objetivos e Resultados Chaves) e acompanhar a evolução através de um quadro Kanban? 

Se queremos mudar algum hábito para melhorar a qualidade de vida, comece aos poucos (lembre-se do MVP), teste sua ideia, coloque em prática e veja os resultados, utilize e desenvolva suas soft skills e esteja apto a novos aprendizados, se adapte, se organize, seja criativo, e se algo não der certo….pivote, mas não desista e mude o rumo das coisas.

Por Marco Fabri, Scrum Master do Brain

Nos acompanhe para saber mais sobre assuntos de metodologias e tecnologia. Siga o Brain no InstagramLinkedIn e Facebook!

Compartilhe
   
REDAÇÃO BRAIN

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alysson Barros

Marco,

 Excelente texto, parabéns!!!  Nos faz parar e pensar no mais importante que é nossa vida, com certeza vou começar a fazer MVP´s na minha vida pessoal.

Last edited 22 dias atrás by Alysson Barros
1
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x